NEGROANJOLIVRE

NEGROANJOLIVRE

quarta-feira, maio 21, 2014

CRISPINA, PINA...MÃE NEGRA, ÚNICA!!!!!

Ao adentares no céu, Deus não te esperava, te conduzia o colo...Mãe!
Sabemos que não és "santa" e não viveu como tal, mas havia algo especial em ti.
Sua altivez majestosa, sua meiguice, seu ato de doar e doar-se...sem palavras.
Sentir a sua ausência é mais uma das milhares de formas de eternizar o teu perfume...inigualável.
Fostes mãe, vó, guerreira, amiga...saudades!! Fostes mãos e pés de muito que tu não conhecia...
Abraçou causas, apagou incêndio com apenas palavras, palavras.
Uniu família e famílias com a simplicidade do despertar do dia...quanta bondade mãe negra!
Negra mãe, descrever - te em olhos molhados, coração apertado e a saudade aflorada, sem comentários...
Minha linda, a senhora não nos ensinou a amar, fostes o próprio amor em forma humana, gesto raro.
Acolheu a todos...abriu a porta de tua casa e fez dela um lugar onde germinava amor...amor!
Um dia, uma noite, uma madrugada fria de um frio outono...mãe negra! cadê mainha?!
Um homem de branco adentra teu provisório quarto te toma pelos braços e suponho eu, mero mortal,
   que assim disse Êle: - Vem filha minha possuir por herança aquilo que já é teu, pois  é   meu   todo
   trabalho e o teu trabalho agora é descansar em mim.(Deus).
E sorrateiramente assim te conduziu aos céus mas, além de saudades nos deixou lições a serem 
   seguidas.
Voa nas asas do vento no instante e momento em que Deus determinou...
Aproveita solta a voz neste imenso coral , faz Deus sorrir, assim como Êle chorou na tua partida
   desse mundo, onde habita homens de impuros lábios e lábios impuros...deixe que diga, que fale...
Semelhante ao perfume assim foi tua passagem por aqui, deixou a essência no ar.
Segue portanto, continua com o seu legado, movimenta a sala do trono e assim como muitas vezes
   fez por nós meros mortais, deixa as "vestes de Deus" mais alva do que a neve pois, aqui na nossa
   imaginária calçada da fama, ficou em nós as tuas sábias palavras e as amáveis lembranças...
Obrigado por mim e por todos que contigo compartilhou...eu em especial sei:
- tive fome me deste o que comer,
  tive frio me deste cobertor,
  tive medo me deste coragem,
  tive, tive, tive...me deste amor quando muitos não quis me amar...obrigado. O céu chorou...
Um dia... foi assim um dia.. e a Senhora partiu...teu sorriso jamais será esquecido das noites quente
  de verão em que reunido e eu adotado em teu seio contemplei e compartilhei momentos inesquecíveis...sem palavras...
Agora mãe negra, pega teu estandarte, segue firme e continua a olhar por nós e um dia quando nos
   encontrarmos te direi apenas, desta feita não com olhos molhados, mas sorriso alegre: obrigado
mãe negra, negra mãe...inesquecívelmente D. PINA. Até o entardecer, sempre te amarei, viu!!
                Até o entardecer, humanamente humano teu filho adotado por amor e coração puro,
                                     Marcos Antonio Ferreira Lima.
 

terça-feira, janeiro 28, 2014

CIRCUNFERÊNCIA...NÃO QUESTIONE!

É na dor que percebemos as feridas,
É na dificuldade que descobrimos quem temos e o que temos,
É na solidão do obscuro encosto  em nossa vida que passamos a ver,`
É na luta pela vida que poderá ou não vir a vitória,
É na distância que percebemos o quanto somos presentes...
Aí, finalmente descobrimos que o mundo gira e que não tem inicio, meio e fim.
Que o sofrimento é um aprendizado e que a resposta final, final!
... é tipo "toma lá dá cá", ou seja, hoje quem chora é você, ontem era eu quem chorava.
É no viver que percebemos que amar é muito mais que fantasia... É vida presente, vida!
Quem não é capaz de amar, não desperte o amor do outro pois, se não há correspondência,
O estrago pode custar vida, ou...vidas.

Até o entardecer, Marcos A F Lima